Database

Creator

Thumbnail

Search results

1,961 records were found.

Searching on external databases...
loading
Este aparelho serve para a distinguir as duas espécies de electricidade, mostrando que a electricidade positiva passa mais facilmente de uma ponta para um disco e a negativa de um disco para uma ponta. É composto por dois pés em vidro com as extremidades em latão e uma base em metal. Na parte superior destes pés o latão está perfurado para permitir que passem duas hastes metálicas, uma terminando num disco e outra numa ponta, e parafusos que as fixam. A haste metálica que termina em disco está disposta em frente da haste que termina em ponta que está ligada ao outro pé e vice-versa.
Este aparelho é constituído por uma bobina pequena de madeira formada por dois enrolamentos de fio de cobre fino com diferentes comprimentos e com núcleo de ferro disposto horizontalmente. O núcleo de ferro é constituído por um tubo amovível forrado a papel no qual existe uma escala graduada em milímetros, que se desloca dentro da bobina. A bobina está assente numa base rectangular de madeira. Numa das extremidades da bobine o núcleo de ferro sobressai ficando frente a uma mola flexível apoiada numa pequena coluna vertical em latão assente na base de madeira e com parafuso para regulação da proximidade com o núcleo. Dois terminais em latão localizados lateralmente na base de madeira estabelecem a ligação entre a bobine e o circuito exterior. O segundo enrolamento da bobine vai também ligar a outros dois terminais de latão, onde irão se...
Aparelho que produz electricidade por influência para mostrar que, por influência, as duas electricidades se separam em quantidades iguais num corpo bom condutor. É composto por duas garrafas de forma esférica com gargalo, que termina numa peça metálica, com um elemento isolador ao centro, por onde passa uma haste, também metálica, que tem, na extremidade que fica no interior da garrafa, duas folhas de alumínio e, na sua oposta, já no exterior, um cilindro - condutor - com um dos topos esférico e o outro plano. Colocando as duas garrafas (A e B) de modo a que os condutores estejam em contacto pelo topo plano e aproximando da extremidade esférica da garrafa A uma vareta de vidro (fricccionada com mercúrio), observa-se que as folhas de alumínio das duas garrafas divergem. Mantendo a vareta próxima do condutor, levantam-se, à vez, cada um...
O aparelho é constituído por um tripé em ferro no qual está apoiado um tubo de vidro disposto verticalmente. No topo deste, transversalmente e centrado, um outro tubo de vidro, cujos extremos terminam em gargalo de garrafa, onde se encaixam as rolhas (não existentes) de fixação dos eléctrodos. Estes devem ficar dentro do tubo e de modo a poder-se ajustar a distância entre eles, constituindo um dieléctrico. Na parte superior deste tudo e centrado sai na vertical outro tubo mais fino, curvado em "s" e terminando com a forma de "U" largo com uma pequena taça disposta horizontalmente na sua extremidade. Aquecimento do ar produzido por uma faísca. Quando se provoca uma descarga eléctrica entre os dois eléctrodos, a faísca produzida aquece o ar contido no tubo, dilatando-o. Esta dilatação do ar é observada por uma oscilação da pequena gotícu...
Este aparelho mostra que a electricidade se propaga apenas na superfície dos corpos condutores. É composto por uma fina tela em fio de ferro, com 44 cm de comprimento e 15 de largura, fixa nas suas extremidades e ao centro em três varetas de ebonite que, por sua vez, se encaixam em três pés de ferro que assim lhe confere maior estabilidade. A tela metálica comporta, de cada um das suas faces e em intervalos regulares, finas fitas de papel (num dos lados apenas existe uma). Quando o aparelho é electrizado - basta uma vareta de ebonite ou de vidro - o comportamento destas fitas de papel varia. Se a tela está esticada, elas ficam dos dois lados coladas contra a tela; se a tela está encurvada as fitas que se encontram do lado exterior levantam-se energicamente e as do lado interior caem.
Aparelho utilizado para demonstrar a lei de Faraday: " Um corpo condutor electrizado, envolvido completamente por outro condutor, induz neste uma carga eléctrica de sinal oposto e igual (em valor absoluto) à sua própria carga". É composto por três peças: um cilindro metálico de 100 mm de diâmetro aberto na base superior. Do exterior, perto do topo sai uma peça para ligação eléctrica; um cilindro metálico, de 49 mm de diâmetro, assente em tripé isolador de vidro; e uma vareta de vidro isolador que termina na extremidade inferior numa esfera metálica. No corpo desta vareta, afastados, tem dois discos metálicos de 55 mm e 109 mm de diâmetro que encaixam respectivamente nos cilindros descritos anteriormente.
Aparelho utilizado para demonstrar que a densidade eléctrica varia com as dimensões do condutor: diminui quando as dimensões do condutor aumentam. É composto por 4 caixas cilíndricas metálicas, metidas umas dentro das outras e montadas sobre um suporte isolante de vidro, que culmina numa haste de latão com uma argola escura, que parece de ferro, onde se prende a caixa mais interior e onde estão montados 4 pêndulos de papel. Quando se puxa esta argola com um objecto isolador, por exemplo um gancho, as 4 caixas saem uma das outras, aumentando assim as dimensões do condutor. Os pêndulos de papel afastam-se quando as caixas estão metidas umas nas outras (menores dimensoões) e juntam-se mais (descaem) quando todas as caixas estão desencaixadas (maiores dimensões).
Instrumento que permite a verificação experimental da lei quantitativa das interações entre cargas eléctricas. É constituída por uma caixa de vidro, cilíndrica, fechada por uma tampa, onde se encontra inscrita uma escala angular. No interior, apresenta um pêndulo cilíndrico, suspenso por um fio metálico num suporte metálico. A base assenta em três pés reguláveis em altura.
Banqueta quadrangular constituída por uma tábua de madeira com 30 mm de espessura e com quatro pés em vidro maciço (material isolador).
A garrafa de Leyde (ou Leyden) é uma espécie de condensador eléctrico. As garrafas de Leyde podem agrupar-se em bateria: reunindo várias garrafas de armaduras semelhantes, aumenta-se a quantidade de electricidade que se pode armazenar e descarregar. Esta bateria é constituída por 4 garrafas colocadas numa caixa de madeira polida. A garrafa de Leyde é composta por um frasco de vidro fino, com a sua superfície exterior revestida a 75% por uma folha de estanho que o cobre até ao fundo, deixando liberta a parte superior junto do gargalo. Uma haste metálica, terminada por um botão, atravessa a tampa em madeira que fecha o frasco. Esta haste termina, na parte inferior, com uma corrente de fios de latão que vão estar em contacto com as paredes interiores do frasco. A haste metálica e a corrente constituem a armadura interna ou colector, a fol...
ContactosSecretaria-Geral da Educação e Ciência

Av. 5 de Outubro, 107
1069-018 Lisboa

Tel: 217811600 - ext 11530
E-mail: dsda@sec-geral.mec.pt
HorárioSala de Leitura
De 2ª a 6ª das 9:00 às 17:00

Centro de Informação e Relações Públicas
De 2ª a 6ª das 9:00 às 18:00